Evangelista tecnológico

Evangelista tecnológico

10-12-2018 On Por Sinesio Bittencourt

Por incrível que pareça, ainda que a palavra “evangelista” tenha diversas conotações, podendo assim ser usada nas mais variadas situações, é muito comum associá-la, tão e somente, à religião.

Two business people sitting at cafe working on new project using laptop. Young businesswoman taking notes and businessman working on laptop computer.

É até compreensível isso, considerando a sua estreita relação com a religião ao longo do desenvolvimento da história da sociedade. Mas, hoje, queremos falar de outro tipo de religião: a tecnológica! Sendo mais específico, sobre o evangelista de .

Se ainda não ouviu falar de tal designação, continue lendo este texto e aproveite o momento para se atualizar!

[ad id=’3939′]

Afinal, o que é evangelista tecnológico?

Talvez você já tenha até uma noção acerca de tal expressão, sobretudo, se entende bem a etimologia do vocábulo “evangelista”.

Então, explicando, se lembra quando Jesus veio à terra — como assim diz a Bíblia — e passou a fazer profecias acerca do futuro, ou seja, evangelizando as pessoas até então incrédulas? O evangelista tecnológico age de maneira muito similar.

Ele é o porta-voz da área de tecnologia da informação, ou seja, tem a responsabilidade de apresentar ao mercado, de modo geral, as tendências tecnológicas que vão impactar as empresas daqui a 1, 2, 4, ou 5 anos etc.

Assim, ele assume, se pensarmos bem, o papel de mensageiro e “evangelista”, porque o seu trabalho também se baseia em convencer as pessoas através do uso da pesquisa, razão e novidades — no caso no mundo da tecnologia.

Em outras palavras, cabe a esse interlocutor a missão de influenciar as empresas a se modernizarem, adotando as soluções professadas. Não é diferente em se tratando da pessoa física.

De onde surgiu essa expressão?

Como tudo tem um começo e história, talvez esteja se perguntando de onde surgiu a expressão “evangelista tecnológico”.

De acordo com os especialistas da área de tecnologia, tal vocábulo foi popularizado por Guy Kawasaki, ex-evangelista da Apple.

Segundo os analistas de mercado, cabia a Guy Kawasaki traçar uma estratégia para convencer os públicos da Apple a comprar seus produtos e serviços, a partir de técnicas de evangelização.

Pelo jeito, parece que a passagem de Guy Kawasaki fez da Apple, de fato, uma grande e desejada empresa, tanto que, hoje, o iphone se tornou uma febre entre os mais jovens. Concorda?

Mercado para o evangelista de tecnologia

Acredite ou não, existe um amplo mercado para um evangelista de tecnologia. Inclusive, há cursos específicos para formar pessoas, segundo o ITF 365, site especializado em tecnologia e informação.

A formação de evangelista de tecnologia é ampla e envolve conhecimentos na área de tecnologia, psicologia, sociologia, economia, administração, geografia, história, relações internacionais, entre outros campos do saber.

Para ser um evangelista de tecnologia, não basta apenas entender de tecnologia, precisa saber relacioná-la com o desenvolvimento da sociedade e seus diversos setores, estudando assim os seus impactos. Portanto, o conhecimento sistêmico e relacional é valorizado.

Então, toparia ser um evangelista de tecnologia? Hoje, é uma profissão que tem tudo para crescer, basta olhar ao redor para perceber que estamos imersos em um mundo que respira tecnologia.

Aproveite a oportunidade, afinal, este texto chegou até você não por acaso. Pense nisso!

[ad id=’3939′]

Leia também:

Este artigo foi escrito pelo Sinesio Bittencourt, Technology Evangelist da HostGator.